A Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE), vem fortalecendo o apoio às associações comunitárias dos distritos para o projeto São José IV, do Governo do Estado do Ceará. Técnicos da STDE já cadastraram cerca de 50 famílias das localidades de João Pereira I e II (distrito de Aracatiaçu), Riacho do Gabriel (distrito de Aracatiaçu), Água Doce I e II (distrito de Patos), Boqueirão (sede) e Setor I (distrito de Jaibaras).

Com o lançamento do edital de chamada pública 02/2020 - SDA, para sub projetos de sistemas de abastecimento de água, foram iniciadas, dia 18 de janeiro, visitas às comunidades rurais aptas a receberem essa estrutura hídrica, representadas pelas Associações Comunitárias, conforme manifestação de interesse por elas apresentadas.

O Projeto São José IV está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado do Ceará com o apoio do Banco Mundial, por meio de convênio.

    
A secretária do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE), Sandra Arcanjo, e a vice-prefeita Christianne Coelho estiveram, na manhã desta terça-feira (26/01), no açude da Emasa, no distrito de Aracatiaçu, para realizar uma ação de peixamento de alevinos (peixes recém saídos do ovo). A ação, que também vai beneficiar outros açudes do município, é fruto do Programa de Peixamento do Governo do Estado, em uma parceria entre Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE), e Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA).

Segundo a secretária da STDE, Sandra Arcanjo, os alevinos estarão prontos para serem pescados nos próximos meses, beneficiando agricultores e pescadores artesanais das diversas localidades, garantindo a segurança alimentar e contribuindo para o incremento da renda dessas famílias.

O objetivo do Governo do Estado é repovoar os reservatórios públicos e comunitários das áreas de assentamentos dos municípios cearenses, distribuindo gratuitamente alevinos, sobretudo para a população de baixa renda que vive da pesca artesanal. Cerca de 70 mil alevinos de tilápias estão sendo colocados para povoamento.


Aconteceu, nesta sexta-feira (22/01), na Casa da Economia Solidária de Sobral (próximo à Praça de Cuba), a Feira da Agricultura Familiar, com produtos da agricultura familiar, artesanato e gastronomia, produzidos pelos grupos produtivos da economia solidária da sede e dos distritos de Sobral.

Na feira, os agricultores familiares da região comercializam alimentos cultivados em seus quintais a partir dos princípios agroecológicos, permitindo uma aproximação entre o campo e a cidade.

A Feira, que acontece sempre às sextas-feiras, visa contribuir com o incremento na renda dos produtores, através da comercialização de seus produtos. A ação é uma iniciativa da Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE).


Na manhã desta sexta-feira (22/01), a secretária do Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Sandra Arcanjo, recebeu os representantes da organização social CETRA (Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador) para discutir e alinhar futuros projetos agroecológicos, além de firmar parceria para execução nos próximos anos do projeto Saberes Semiáridos. Também foi tema da reunião futuros projetos de feiras de negócios que valorizem a agricultura familiar.

Participaram também do momento a coordenadora de Capacitação e Inovação, América Rodrigues; Luis Eduardo Sobral, coordenador do Projeto Saberes do Semiárido - CETRA; Cássia Pascoal, coordenadora do Projeto Paulo Freire - CETRA; Luciana Magalhães, técnica de comercialização do projeto Saberes Semiárido; e Felipe Sousa, auxiliar administrativo do Espaço Físico de Comercialização Agroecológica - CETRA.


Técnicos da Coordenadoria da Agricultura e Pecuária da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE) se reuniram, na quarta-feira (20/01), com o grupo de mulheres da comunidade de Jurema, distrito de Taperuaba, cadastradas no Projeto Cactos e Plantas Suculentas, que visa a produção e comercialização do material produzido a partir de matrizes das plantas xerófilas (cactos e suculentas).

Na ocasião, os técnicos apresentaram ao grupo a necessidade de prospectar alguns exemplares de cactos e suculentas presentes na região, dada a importância de disseminar e fortalecer esse material encontrado no cenário da caatinga e que, muitas vezes, não são vistas e reconhecidas como importantes em ambientes domiciliares e paisagísticos (praças e jardins).

O encontro contou ainda com uma visita técnica à pequena produção de umas das integrantes do grupo.